Bem-vindo ao site da Whirlpool Latin America!

Mulher indígena também empreende

Especializadas em artesanato cultural, empreendedoras da Associação das Mulheres Indígenas do Alto Rio Negro, em Manaus, recebem assessoria do Consulado da Mulher Ainda são grandes as dificuldades de acesso à educação e ao mercado de trabalho dos índios no Brasil, especialmente para as mulheres. No entanto, mesmo que timidamente, alguns avanços vêm sendo registrados nestas áreas. Bons exemplos neste sentido vêm das mulheres de origem indígena associadas à AMARN (Associação das Mulheres Indígenas do Alto do Rio Negro), de Manaus (AM), que não só buscaram capacitação profissional, mas foram além, tornando-se empreendedoras. A AMARN foi fundada em 1984 para buscar uma maior participação das mulheres nos movimentos indígenas voltados à garantia de seus direitos, além de debater outros temas ligados, principalmente, à cultura e identidade indígena. ?As dificuldades das mulheres indígenas são muitas e envolvem desde a sensibilização da sociedade para questões como saúde, trabalho, moradia, educação e até a capacitação. Para reduzir estas diferenças, a AMARN desenvolveu várias ações de cunho social, educativo, além do debate político com parceiros dos órgãos governamentais e não-governamentais?, diz Maria Miquelina Barreto, integrante do Departamento de Promoção dos Direitos Indígenas da SEIND (Secretaria de Estado dos Povos Indígenas). No que se refere à capacitação, a AMARN sentiu a necessidade de profissionalizar a produção de artesanato, principal fonte de renda das 52 associadas, e a gestão do empreendimento. Assim, em 2008, passou a contar com a orientação do Instituto Consulado da Mulher, ação social da marca Consul que oferece assessoria a mulheres de baixa renda e pouca escolaridade para que, com sua atividade empreendedora, possam gerar renda e proporcionar melhores condições de vida a elas e suas famílias. Artesanato empreendedorO grupo de mulheres associados à AMARN é especializado em artesanato cultural, também chamado artesanato ?de raiz?, que é um forte diferencial no cenário brasileiro atual. Os produtos são desenvolvidos a partir de sementes, fibras e outros elementos retirados da floresta de forma sustentável, compondo belos brincos, cestos, colares e pulseiras que refletem a cultura e as tradições do povo indígena. A assessoria oferecida pelo Consulado da Mulher, de acordo com Leda Böger, diretora executiva do Instituto, está fortemente direcionada para a gestão do empreendimento. De 2008 até hoje, foram realizadas várias oficinas para transmitir conhecimentos relacionados à administração do negócio, como fluxo de caixa, gestão financeira, fundo de reserva, entre outros, que eram as principais necessidades da associação. ?Neste período em que assessoramos as empreendedoras da ARMARN, acompanhamos e auxiliamos no fortalecimento do time de coordenação da associação. Além disso, por meio do Consulado, foi possível a participação do grupo em exposição na SUFRAMA (Superintendência da Zona Franca de Manaus) e em Feiras de Economia Solidária?, conta Leda. Ainda segundo a diretora, a participação em feiras e eventos de empresas é importante para a associação expor e divulgar seu trabalho, ampliando as oportunidades de comercialização, que é aspecto fundamental para a geração de renda. Durante o período em que tem recebido a assessoria do Consulado da Mulher a renda gerada pelas as empreendedoras associadas a AMARN aumentou em aproximadamente 20%. Gestão eficienteJuscimeire Trindade Serra, atual coordenadora da AMARN, teve sua vida transformada quando se ligou à entidade e passou pela assessoria oferecida pelo Consulado. Nascida no município de São Gabriel da Cachoeira (AM) e de origem da ?tribo indígena Wanano?, Juscimeire trabalhava como doméstica antes de se associar à associação, que conheceu por intermédio de sua mãe. Fez cursos de corte e costura e passou a produzir artesanato. Anos depois foi eleita vice-coordenadora e, mais recentemente, assumiu a coordena da AMARN. ?Quando assumi a coordenação deparei-me com diversos problemas que estavam afetando a credibilidade da associação junto aos parceiros financeiros. Questões que tinha que enfrentar, mas não sabia a quem recorrer. A assessoria do Consulado veio justamente neste momento, foi a ?mãe? que me orientou para sanar as dificuldades e fazer uma boa gestão?, diz.  ?Aprendi  sobre sustentabilidade, controle da entrada e saída de recursos, tesouraria, como gerar renda e abrir as portas para a associação crescer?, completa. O desafio para 2011, de acordo com Leda Böger, é continuar o trabalho de capacitação fortalecendo principalmente a comercialização e a gestão dos espaços que a associação já possui, além da sede.?Quando se fala dos avanços das mulheres em diversas áreas, temos que destacar as conquistas das mulheres de origem indígena, que assim como as mulheres urbanas e as mulheres rurais também devem ter garantidos seus direitos à educação, saúde e trabalho. Neste 19 de abril, Dia do Índio, há conquistas para se comemorar, mas também é importante lembrar e refletir que ainda há muito a fazer para que haja verdadeira  inclusão social destas brasileiras?, completa. Consulado da MulherO Instituto Consulado da Mulher é uma ação social da marca Consul, que oferece assessoria a mulheres de baixa renda e pouca escolaridade. O objetivo é que, com sua atividade empreendedora, possam gerar renda e proporcionar melhores condições de vida a elas e suas famílias. O Consulado da Mulher conta com uma metodologia própria de assessoria a empreendimentos populares, reconhecida pela Fundação Banco do Brasil, Unesco e KPMG como uma tecnologia social, replicável, eficaz e que entrega os resultados aos quais se propõe. Presente em 13 Estados do País, o Consulado da Mulher assessora 222 empreendimentos populares, beneficiando diretamente 1.399 mulheres e suas famílias. Desde sua fundação, em 2002, o Consulado já beneficiou mais de 25 mil pessoas. Em 2010, o Consulado da Mulher foi escolhido pela Clinton Global Initiative (CGI), do ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton, para participar do encontro anual, em Nova York, e expor seu modelo de atuação. O Encontro Anual da CGI é reconhecido por reunir, entre outros participantes, chefes de Estado, vencedores de prêmios Nobel da Paz, executivos, líderes de ONGs de atuação mundial e formadores de opinião para planejar projetos específicos de enfrentamento dos desafios econômicos, ambientais e sociais mais urgentes da atualidade. Sobre a Whirlpool Latin AmericaLíder do mercado latino-americano de eletrodomésticos, a Whirlpool Latin America atua no Brasil com as marcas Brastemp, Consul e KitchenAid, com fábricas em  Rio  Claro  (SP), Joinville  (SC)  e  Manaus (AM). Na América Latina, possui escritórios na Argentina, Chile, Peru, Guatemala, Equador, Colômbia, Miami e Porto Rico e atua principalmente com as marcas Jenn-Air, KitchenAid, Eslabon de Lujo, Whirlpool, Acros e Maytag. No Brasil, possui 20 laboratórios de Pesquisa e Desenvolvimento e quatro Centros de Tecnologia: Cocção, Ar-Condicionado, Lavanderia e Refrigeração ? este considerado um dos maiores do mundo. Nesses locais, são desenvolvidos produtos e projetos inovadores que são exportados para mais de 70 países. De acordo com o INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), a Whirlpool S.A é a quarta colocada no registro de patentes no Brasil, além de ser a companhia brasileira com maior volume de patentes concedidas nos Estados Unidos. A inovação, entretanto, só é possível porque, combinados à tecnologia, estão os talentos. São 15,3 mil colaboradores nas fábricas e centro administrativo. Pessoas que fazem da Whirlpool Latin America uma das três únicas empresas presentes no Guia Você S.A./Exame ?As Melhores Empresas para Você Trabalhar? desde a primeira edição, em 1997, tendo sido a primeira colocada no ranking de 2010, e a Empresa Mais Inovadora do País, segundo a revista Época Negócios. Além disso, é uma das 20 empresas modelo em sustentabilidade, segundo o Guia Exame de Sustentabilidade, resultado do compromisso de envolver consumidores e colaboradores para que façam, até mesmo no ato da compra, a escolha por um mundo melhor. Com esse objetivo, desenvolve produtos com alto nível de eficiência energética, atua na gestão de materiais e resíduos e na redução do uso de gases efeito estufa. A cada ciclo de dez anos, a Whirlpool tem desenvolvido produtos que economizam de 40% a 50% de energia ? incluindo gás e eletricidade ? em relação à geração anterior de aparelhos. O uso de água por lavadoras caiu quase 60% se comparado às fabricadas há oito anos. Sobre a Whirlpool CorporationA Whirlpool Corporation é a líder mundial na fabricação e no comércio de eletrodomésticos de linha branca, com um faturamento anual de aproximadamente US$ 18.4 bilhões em 2010, 71 mil funcionários e 67 centros de manufatura e pesquisa tecnológica em todo o mundo. A empresa comercializa Whirlpool, Maytag, KitchenAid, Jenn-Air, Amana, Brastemp, Consul, Bauknecht e outras grandes marcas a consumidores em praticamente todos os países. Mais informações sobre a empresa podem ser encontradas em www.whirlpoolcorp.com. Sobre o 100º aniversário da Whirlpool CorporationFundada em 11 de novembro de 1911, a Whirlpool Corporation vem influenciando a vida doméstica e familiar há um século. A Empresa é impulsionada pela crença de que todos precisam de um lugar confortável que possam chamar de casa e tem uma história de cem anos criando melhores formas de cozinhar, limpar, refrigerar e armazenar. A Whirlpool Corporation tem como foco melhorar a vida das pessoas, das famílias, das casas e das comunidades.